Fale com um Farmacêutico: +351 253 408 213
Entregas em Portugal Continental em 24h-48h
Envios gratuitos a partir de 39€ (Portugal Continental)
Menu
Voltar
Fale com um Farmacêutico: +351 253 408 213
Entregas em Portugal Continental em 24h-48h
Envios gratuitos a partir de 39€ (Portugal Continental)
A chegada de um bebé!

A chegada de um bebé!

A chegada de um bebé, vem mudar completamente a rotina e toda a dinâmica familiar. É um período de idealização, de expectativa, mas muito intenso, quer do ponto de vista físico quer emocional, principalmente quando se trata de um primeiro filho. A ansiedade latente que todos os pais experienciam faz parte de um processo de aprendizagem, que é continuo e que tem por base aspetos culturais, novos desenvolvimentos tecnológicos, mas fundamentalmente a intuição de quem é mãe e pai. Costumo dizer que nos cuidados básicos ao recém-nascido, não há verdades absolutas, mas que são a mãe e o pai, aqueles que sabem intuitivamente, o que de facto é melhor para o seu bebé… o pediatra dá apenas uma pequena ajuda e orientação….

Vamos abordar algumas questões que não pretendendo ser um “livro de instruções” pode ser um auxílio nesta etapa importante da vida dos bebes e dos pais.

 

Cuidados Gerais:

O truque é descomplicar e manter sempre a calma, tendo sempre em mente que a criança chora por múltiplos motivos, não sendo necessariamente fome ou dor. Com o tempo, os pais irão conseguir “decifrar” os diferentes choros e isso será mais tranquilizador.

É fundamental também ter um espaço arrumado e organizado com tudo o que necessita para o bebé. Apesar da amamentação ser à livre demanda, deverá estabelecer de rotinas no dia- a dia do bebe. Estas rotinas permitem desde o nascimento, estimular a organização cognitiva do bebé das vivencias do dia- dia, permitindo a sua aprendizagem na previsibilidade, que lhe transmite um sentimento profundo de segurança.

A mãe, deverá sempre que possível, ter ajuda nas tarefas domésticas diárias dos outros membros da família (avós, tios), principalmente nos primeiros dias do recém-nascido, de forma a estar incondicionalmente disponível para o seu bebé. Assim, cada membro da família deverá ocupar o seu lugar na estrutura familiar, agora alargada a um novo membro.

Outra questão que, no meu ponto de vista, é importante desmitificar é a velha máxima de que o colo é prejudicial nos primeiros meses de vida “não o habitues ao colo”. As crianças crescem melhor quando são amadas e se sentem seguras. Carinho, afeto e contato físico são essenciais para estabelecer e fortalecer os vínculos entre pais e filhos e ajudam até a aumentar a imunidade do bebé.

 

Banho

Nas primeiras semanas de vida, o bebé deve tomar banho 2-3 vezes por semana, isto porque as glândulas sudoríparas do recém-nascido são menos desenvolvidas que o adulto e por isso particularmente suscetível a irritações e desidratação da pele.

O ambiente deverá ser aquecido e não deverá durar mais de 5 minutos no recém-nascido, pelo risco de arrefecimento. Geralmente recomenda-se o banho ao final do dia pelo seu efeito relaxante.

Antes do banho certifique-se que tem tudo o que necessita:

  1. Banheira com água a cerca de 36-37ºC (colocar inicialmente água fria e posteriormente a água aquecida, com cerca de 8-10 cm de profundidade). Pode verificar a temperatura com termómetro ou apenas se está confortável ao toque.
  2. Gel para o banho (pH neutro, sem perfume, sem corantes, hipoalergénico), em pequena quantidade. A água é o elemento mais importante para a limpeza da pele do bebé.  Evitar o uso de esponja pelo risco de acumulação de bactérias e de irritação da pele.
  3. Toalha de banho
  4. Creme hidratante (pode ser usado já nos primeiros dias do bebé, hipoalergénico, sem corantes ou perfumes)
  5. Muda de roupa completa e fralda
  6. Compressas esterilizadas, soro fisiológico, tesoura de pontas redondas, escova

Durante o banho, deverá colocar o bebé suavemente na banheira, certificando-se que a zona da fralda se encontra limpa. Deverá pegar no bebé com um braço por baixo do tronco e a mão envolvendo o braço mais afastado de si e a outra mão no rabinho do bebé e imergir suavemente na água. Deve-se começar o banho pela cara e cabeça, em direção aos pés, dando atenção às pregas cutâneas e á região genital.

Depois do banho, seque-o cuidadosamente dando atenção às pregas, pescoço, axilas, virilhas e entre os dedos. Posteriormente aplique creme hidratante e vista o bebé com roupa adequada. Pode utilizar creme emolientes no recém-nascido, desde que estes sejam hipoalérgicos, sem corantes, sem perfumes ou parabenos.

Nariz e olhos

Lave o nariz, utilizando soro fisiológico para amolecer as secreções, aspirando suavemente com um dispositivo aspirador nasal ou apenas com a ponta de uma toalha macia.

Os olhos são limpos com gaze esterilizada e soro fisiológico, utilizando uma gaze para cada olho e com movimento único de dentro para fora.

Coto Umbilical

O cordão umbilical sofre um processo de mumificação que leva á sua queda nas 2 primeiras semanas de vida. Até lá, o cordão deverá ser mantido limpo e seco.

Para realizar a limpeza do coto umbilical:

  1. Lavagem criteriosa das mãos com água e sabão antes e depois dos cuidados ao coto umbilical.
  2. Realizar a limpeza do coto umbilical e da pele circundante, utilizando compressas com soro fisiológico ou água tépida, em movimentos circulares suaves. A mola (clampe) é limpa com outra compressa.
  3. Secar o coto e pele adjacente com movimento de cima para baixo e com a mão livre a segurar no clampe.
  4. Manutenção do coto seco e exposto ao ar, ou livremente coberto com roupas limpas. Dobrar e apertar a fralda abaixo do umbigo.

É fundamental manter uma vigilância frequente do coto umbilical e da área circundante para deteção precoce de sinais de infeção (odor fétido, rubor e drenagem purulenta).

 

Higiene da fralda

  1. Coloque o bebé de costas e faça com que ele se sinta descontraído de forma a facilitar o processo. A altura da fralda pode ser um momento em que a mãe ou pai possam brincar e conversar com o seu bebé.
  2. A higiene deve ser realizada de cima para baixo, da área mais limpa para a mais suja, de forma a prevenir infeções e contaminações por substâncias presentes nas fezes.
  3. Utilize um disco de algodão ou compressa de tecido- não tecido para fazer a limpeza com água tépida ou produtos suaves e adequados á pele frágil do bebé com pH fisiológico. Os óleos de limpeza de origem vegetal são perfeitos para a rotina diária, já que se tornam confortáveis ao toque e deixam substâncias hidratantes e emolientes.
  4. As toalhitas devem ser evitadas, uma vez que muitas vezes contêm álcool que vai desidratar ainda mais a pele do bebé e aumentar a permeabilidade a contaminações, assim como perfume e conservantes.
  5. Seque a zona da fralda com lenços de papel, se tiver limpado com algodão molhado, e deixe o bebé mexer-se um pouco, para o rabinho apanhar ar.
  6. Aplique um creme protetor apenas   se o bebé apresentar dermatite das fraldas (irritação) com pomada que contenha oxido de zinco (tem ação protetora, antisséptica e cicatrizante).
  7. Coloque a fralda, com o cuidado de não apertar demasiado.

 

Vestuário:

A escolha da roupa, deve ter em conta 4 pontos fundamentais:

  1. Deve ser segura: ser 100% algodão para minimizar o risco de alergias e irritações e permitir que a pele respire. Tecidos sintéticos e lãs não devem entrar em contato direto com a pele e todas as etiquetas que estejam em contato com a pele devem ser removidas. Evite roupas com costuras, golas grandes, cordões, colares, fitas ou laços.
  2. Deve ser prática: permitindo mudar a fralda ou a roupa rapidamente. Evite comprar roupas com fitas e atilhos e prefira molas a botões ou fechos de correr. Como o bebé está a maior parte do tempo deitado, as molas e os botões devem estar na frente de forma a não magoar as costas do bebé
  3. Deve ser cómoda: assegurando a liberdade dos movimentos do bebé.
  4. Deve ser adequada á época do ano e á temperatura. Tente não agasalhar demasiado o bebé. Um bebé muito vestido pode ficar irritado e até ter febre por excesso de aquecimento. Eles devem usar uma peça adicional comparativamente com o adulto.

A roupa do bebé deve ser lavada em separado do resto da roupa da família, principalmente durante os primeiros 3 meses de vida, em que o sistema imunitário é particularmente vulnerável e ainda houve pouco contacto com a flora microbiana da pele dos pais.

Deve ser lavada com produtos que tenham a menor quantidade de perfume possível (“detergentes designados para bebé”). Os detergentes “normais” assim como os amaciadores de roupa têm enzimas, corantes e emulsificastes que podem ser irritantes para a pele do bebé.

Deve também, ser lavada preferencialmente na máquina de lavar roupa (poupa tempo aos pais, tem uma lavagem mais eficaz que dura mais tempo e permite um enxaguamento e centrifugação mais profundos do que é feito manualmente.

Quando a roupa é passada a ferro, fica mais suave esterilizada.

 

O Sono

As crianças não nascem com a capacidade de dormir toda a noite. Esta capacidade, como qualquer outra, vai-se desenvolvendo com a idade. Nos primeiros meses, os bebés não seguem um ritmo circadiano, não distinguem o dia e anoite. Obedecem a um ritmo biológico, regulado em períodos de 3-4 horas, marcado pela necessidade de alimentação. Progressivamente o sono vai-se organizando e vão adquirindo um ritmo dia/noite, compatibilizando os períodos de sono com a refeição e momentos de interação. Pelos 3 meses, das 15 horas de sono diário, 8 a 9 já poderá acontecer durante a noite.  

Algumas recomendações:

  1. Nos primeiros 6 meses, o bebé deve estar sempre sob vigilância do adulto e deve ser ouvido com facilidade, por isso é aconselhado dormir no quarto dos pais, como estratégia para diminuir o Síndrome de Morte Súbita do Lactente (SMSL), mas no seu próprio berço/cama e nunca no meio dos pais. Esta proximidade é facilitadora para a mãe que está a amamentar, permitindo também uma vigilância mais próxima.
  2. A divisão onde o bebé dorme deve ser arejada, estar livre de objetos que acumulem pó e a temperatura média do quarto deve situar-se entre os 18 e 20ºC.
  3. A posição correta para o bebe dormir no berço é sempre de barriga para cima (posteriormente o bebé irá lateralizar ele próprio a sua cabeça de acordo com o que lhe for mais confortável) e não de lado ou de barriga para baixo, de modo a prevenir o SMSL. Deverá ser colocado com os pés a tocar o fundo do berço com a cabeça destapada de forma a evitar a asfixia/sufocação por deslize nos lençóis.
  4. Procure deitar o bebé antes de adormecer. Aprenda a reconhecer os sinais de que está com sono. Bocejar é o sinal mais obvio, mas existem outros como determinado tipo de choro, mexer na orelha ou esfregar os olhos.
  5. É importante deitá-lo quando está com sono, mas ainda acordado. Desta forma, o bebé aprende a relaxar e adormecer sozinho.
  6. Após o 1º mês, confirmando que o bebé está a evoluir bem de peso, não necessita de acordar de propósito para o alimentar, mesmo que o sono dure 8 horas.
  7. As cadeirinhas de bebé para o automóvel (“babycoque”) ou espreguiçadeiras não devem ser utilizados com a finalidade de dormir pelo risco de obstrução das vias aéreas superiores e sufocação/ asfixia.

 

Rotinas para estimular a aprendizagem do ritmo circadiano das 24 horas do bebé de forma

Durante o dia:              

  • Privilegie a luz e os sons normais. Nas sestas durante o dia, permita um pouco de luz e não hesite em fazer as tarefas de casa- um pouco de barulho não o vai perturbar.
  • Não interferir nos padrões de sono mantendo o bebé acordado. Mantê-lo mais tempo acordado durante o dia, não faz com que durma melhor durante a noite.

Durante a noite:         

  • Privilegie o silencio e o escuro a partir da hora de dormir do bebé
  • Se possível, pouse-o no berço diretamente (ensonado, mas ainda acordado). Isto vai ajudá-lo a aprender a adormecer sozinho, sem ter de ser embalado ou amamentado.
  • Muitos bebés choram um pouco antes de dormir. É perfeitamente normal e faz parte da sequência de rotinas do seu sono.
  • A luz de presença pode ser utilizada, mas não é fundamental.
  • O bebé vai começar a assimilar que é no período noturno que ocorre o sono mais prolongado.

 

Segurança do berço:

  • As grades não devem estar separadas por mais de 6 cm para que a cabeça do bebé não se prenda entre elas.
  • Sem buracos na cabeceira ou no estribo.
  • Superfície dos cantos e tábuas deve ser lisa de forma que a roupa do bebé não fique agarrada.
  • O colchão deve ser firme e deve encaixar perfeitamente no berço
  • Em relação á posição, deve ser colocado na posição mais baixa antes que o bebé adquira a competência de se colocar de pé (7-9 meses) para evitar quedas.
  • Não fazer dobras nos lençóis e devem ficar bem presos nas laterais do colchão;
  • Se usar revestimentos de berços, estes devem preencher as grades a toda a volta e devem estar amarradas com pelo menos 6 nós e os fios dos nós não devem ter mais de 15 cm (para evitar sufocação);
  • Não colocar no berço outros objetos como almofadas ou brinquedos-
  • Não colocar prateleiras de livros, quadros ou outros objetos pesados perto do berço (perigo em caso de queda).

 

Seja persistente e sempre coerente. Os bebés sentem-se seguros com as rotinas bem estabelecidas. Não é fácil, saber dosear o equilíbrio entre corresponder às necessidades do bebé e permitir que ele ganhe competências de autoconsolo. Requer muita paciência, persistência e uma grande dose de amor e carinho.

 

 

 

 

 

 

 

Doutora Cláudia Neto

Assistente hospitalar graduada de Pediatria do HSO Guimarães

Centro Pediátrico de Guimarães

Publicado em: 21/02/2022
Partilhar:

Ultimos Artigos

Skin D-Pigment- a melhor resposta para as peles sensíveis hiperpigmentadas.

Skin D-Pigment- a melhor resposta para as peles …

Nesta altura do ano a procura por produtos que solucionem as tão indesejadas manchas cresce exponencialmente. E há um motivo …

03/10/2022
O poder de um sérum – conheça as novas apostas da La Roche Posay!

O poder de um sérum – conheça as novas apostas da …

Bem-vindos ao mundo dos Séruns! Com texturas fluidas, ricos em princípios ativos e com a promessa de gerar resultados, estes …

27/09/2022
Manchas e tom pouco uniforme? Descubra a gama Azelac Ru da Sesderma

Manchas e tom pouco uniforme? Descubra a gama …

As manchas escuras na pele (hiperpigmentações) são um dos principais motivos que levam, especialmente as mulheres, a …

21/09/2022